8 de jun de 2013

Maratona de Tóquio-parte 4

E vamos a uma das partes mais... aconchegantes da maratona! A hora da massagem! Rsrs. Mais uma vez, agradeço, primeiramente à Yoshiko Kawamura (que conheci no final da maratona, graças à inscrição "Brasil" na minha camiseta e por ela ter puxado papo comigo), pela oportunidade única de conhecer o espaço da patrocinadora Amino Value e seus funcionários! E à Amino Value pelo almoço e massagem, que foram fundamentais para que eu pudesse estar inteira no dia seguinte! Ou melhor, logo em seguida... pois fui encontrar amigos à noite para comemorar! Kkkkk.
Local de concentração da Amino Value
Nem imaginava que eu pudesse ter acesso a este local. Tudo tão controladinho, tudo na mais perfeita ordem. Ninguém chega lá por acaso... como eu! Rsrsrs. Tenho muito que agradecer mesmo! 
Olhem só... forneceram-me uma senha para ser atendida na massagem. Chegando a minha vez, o massagista pergunta onde incomodava mais. Eu disse que eram os quadríceps. E ele concentrou a massagem neste local, seguindo-se uma sessão de gelo. 
Massagista Kawabata
Que gelo!!! 
Enquanto aplicava gelo, recebi uma massagem nas costas que, segundo ele, estavam muito, muito tensas e duras também! 
Aqui nos nossos treinos, temos massagem também, mas a diferença é que aqui, eu ouço muita gente gritar e reclamar de dor. Mas lá... é um silêncio total. Porém, se você vê os rostos do pessoal que está recebendo massagem... rsrsrsrs, desculpe-me, não pude fotografar de perto, mas... kkkkk, fazem muitas caretas de dor e ninguém grita! Kakakakakaka.

Após a massagem... um almoço!!!




Recebemos mais uma toalhinha e produtos, agora da patrocinadora!
Gel de carboidratos... grande! 
E para finalizar, uma foto com a minha mais nova amiga japonesa, Yoshiko Kawamura!

E assim foi a Maratona de Tóquio. Que tal um tour pelos arredores na próxima postagem? Bem, talvez já estejam todos já muito fartos de Japão, né?
Desculpem-me pela demora! Muito obrigada pelos comentários e visualizações!

3 de jun de 2013

Maratona de Tóquio-parte 3

Antes de mais nada, parabéns a todos que participaram da dura prova da Comrades, na África do Sul!
Onde paramos mesmo? ... Ah, sim, o kit da maratona e a prova, finalmente! 

O KIT DA MARATONA
 O kit veio com "alguns" mapas, um panfleto explicativo que mais se parecia com uma revista devido ao capricho, um saco plástico para colocar os pertences para deixar no guarda-volumes, uma camiseta, o chip descartável, uns suplementos... e na feira da maratona, ganhamos alguns brindes também, como mochilas de costas, bandanas... tudo a troco de responder alguns questionários sobre os produtos expostos. 
Tudo junto: kit pré e pós maratona
Mapa do percurso
Orenai kimoti: Trocadilho com a palavra "oru" (dobrar). O mapa era para ser usado dobrado, mas o seu sentimento não se "dobra" (orenai kimoti), ou seja, um sentimento de que não vai desistir, não vai se dar por vencido.
Toalhinha que ganhamos ao responder um questionário sobre a qualidade da água de Tóquio. Bebíamos a água e comparamos com água mineral. O tratamento de água lá em Tóquio é verificada de perto pelos moradores.
Por falta de um mapa... ganhamos três!

Sendo o Japão um país com tradição budista, no kit da maratona havia um "omamori" (tipo de Santinho protetor), adesivo, que poderia ser colado em alguma parte do vestuário ou assessório, que trazia a inscrição 完走御守護 (Kansô omamoriProteção para completar a prova correndo de ponta a ponta). Eis ele aqui!




O DIA DA MARATONA
Tóquio amanheceu fria mas sem chuva e nem neve. Muito vento, mas suportável. Fui para a largada na companhia do meu marido que resolveu voltar para o hotel e assistir o evento pela televisão, no quentinho. 
Com 36.000 participantes e sem largada por ondas, fiquei imaginando que iríamos demorar muito para passar pelo pórtico de largada. As baias por tempo de conclusão de prova iam da letra A até a K. Eu era da penúltima baia, ou seja, da J. As instruções eram claras para que nos posicionássemos com uns 40 minutos de antecedência, pois se demorássemos muito, teríamos que largar atrás de todos, mesmo sendo da baia A. 
Estação de Shinjuku: placa indicativa para o local da largada.
Multidão se locomovendo para a largada após deixar os pertences nos caminhões guarda-volumes
Eu vou para a baia J, lá atrás!
A entrada da minha baia!
 Do local onde estávamos, não conseguimos ouvir direito os discursos feitos antes da largada. Consegui ouvir de longe o Hino Nacional Japonês e cantei com todos. Muitos participantes à minha volta conversavam em chinês e coreano, o que prova que a quantidade de pessoas destes países era em grande número. E os japoneses à minha volta ficavam em silêncio e só se percebia que eram japoneses pois... pediam para tirar foto deles! Kakakaka. E eu também pedi (e este é o meu lado japonês!). 
Na baia J. Estavam pedindo para seguir em frente, para caber mais gente atrás, mas decidi ficar onde estava pois lá ainda tinha um resquício de sol e na frente, tinha um arranha-céu fazendo sombra e ventava muito! Rsrsrs.

Dada a largada, o povo em silêncio começa a se locomover... silêncio! Rsrsrsrs. Shhhhhi! Rsrsrsrs. De repente, começam a voar coraçõezinhos de papel, bem fininho, pareciam floquinhos de neve! Deve ter sido da largada! Pegamos alguns mas eram muito fininhos para serem guardados. 

Passamos pelo pórtico... acho que demorou uns 12 minutos. Muito rápido! Eeeee! Logo pela frente uma leve descida! Ventinho frio! 
5 km passados e o primeiro posto de água e isotônico Amino Value! Aliás, muito bom, pois este isotônico foi o que me salvou! Toda vez que eu tomava, sentia um up! E eu no ritmo de plano B. Rsrsrs. 

Pelo caminho se via bandas tocando, grupo de crianças que dançavam, crianças que queriam bater as mãos na nossa mão, pessoas do povo que traziam bolinhos de arroz. Pela organização foram servidos: banana, laranja, anpan (tipo de pão doce com recheio de massa de feijão), roll-cake (mini-rocambole), chocolates, balas... uma verdadeira maratona gastronômica! Nunca me serviram tanta coisa! Pena que não dava para comer tudo! Rsrsrs. Sumimasen! Desculpe-me! 

No km 31, não pude deixar de me lembrar da cãibra que senti na maratona do Rio. Mas desta vez, felizmente, não estava sentindo nada. Só por precaução, fiz uma leve massagem nos quadríceps para aquecer o local. E o povo, ao ver este meu gesto, já veio gritando "Supuree arimas yo!" (Temos spray! (tipo spray de cânfora)). Pedi para passar por cima do legging! Rsrsrs.

 O pessoal dos postos de hidratação também não deixavam você se distrair na hora de tomar água. Diziam: "Mizu nomanai to ashi ga keiren shityau yo!" (Se você não tomar água as suas pernas vão convulsionar!") Affff.  Depois dessa, eu tomei água em todos os postos! 
E o que mais se ouvia pelo caminho era "Gambatteeee!" (Forçaaa! (tardução literal: "Esforce-se").

 Foi assim pelo percurso todo. Muita gente fantasiada, muita gente correndo por alguma causa ou para comemorar algo. Tinha um casal correndo de mãos dadas e nas costas traziam a inscrição: 結婚21年記念 (comemoração dos 21 anos de casamento). Um senhor que encontrei quase no final do percurso estava quase nú, somente com um tipo de sunga branca e trazia uma cruz feito de isopor amarrado ao corpo. Alcancei-o numa subida e olhei para trás. Era um nipo-tiozinho com cabelos e barbas longas... estava fantasiado de Jesus! Fazia cara de sofrimento... acho que era frio o que eles estava sentindo! Kakakaka. 

A prova é quase toda é plana, com leves aclives e declives. No final, perto do mar, o vento é cortante! Mas como estamos aquecidos, não se sente tanto! Uma coisa que fiz e que recomendo é usar óculos de proteção, pois com o vento, os olhos podem ficar irritados. Eu fui com óculos escuros

Ao final da prova, ao ver a inscrição "Brasil" na minha camiseta, uma corredora japonesa, a Yoshiko Kawamura, se aproximou e perguntou se eu tinha ido do Brasil mesmo. 
Eu e Yoshiko Kawamura: いろいろ、ありがとうございました!また会いましょう!
E então, como ela foi gentil comigo, ofereci para ela as camisetas que tinha levado daqui, pois não tinha conseguido trocar no Friendship Run! Ela ficou tão feliz que me convidou para ir ao local de concentração da Amino Value uma das empresas patrocinadoras, a que forneceu os isotônicos. Lá, eu pude desfrutar de um almoço e uma massagem. Sou muito grata a AMINO-VALUE! Os produtos deles são ótimos! Tomei-os na pré-maratona, durante a prova e depois. Resolveu até os problemas de cansaço! Pena que não encontramos os produtos deles no Brasil... vamos fazer um coro pedindo? Rsrsrs.

Para quem foi com um plano B na cabeça, acho que terminei bem a prova. Sem cãibras, sem dores (graças também à massagem)... E no dia seguinte, nem o sobe e desce de escadarias das estações de trem com mais de 15 plataformas em paralelo me fez parar! Desci as escadarias com mala e cuia! Kkkkk. 
Quanto ao guarda-volumes, olhem só a quantidade de sacos plásticos para serem entregues! 
Guarda-volumes: dos caminhões, descarregaram tudo neste galpão! 
Pensei que iriam demorar no minimo uns 15 minutos para encontrarem os meus pertences. Mas, para a minha surpresa, em 20 segundos, ele estava nas minhas mãos! Não podíamos ficar parados lá para não atrapalharmos as outras pessoas e a organização nos dizia: "Otsukare no tokoro mooshiwake arimasenga, kooishitsu no hoo e idoo negaimas." (Desculpem-nos, sabemos que estão todos cansados, mas por gentileza, dirijam-se à parte dos vestiários). 
Ah, o tempo de conclusão do plano B: 4h59min53seg! Sub-5h! Kkkkkk. Bom demais! Plano B perfeito!!!


A medalha, o número de peito e o chip descartável.
O certificado enviado depois, com o tempo bruto e o tempo líquido com as parciais
Ainda não acabou! Rsrsrs. Talvez não interesse a ninguém, mas em breve, escreverei sobre a acolhida que recebi do pessoal da Amino Value (o almoço pós-prova e a massagem). E isso, foi impagável!