24 de fev de 2008

Fiquei em primeiro lugar!


Ahaaa! Se assustaram com o título, hein? Rs. Pois é, ontem, sábado, depois de ter ido a um treino técnico, ter feito uma tomografia na face para se ter uma noção exata de como está a minha cavidade nasal e afins (rs), fui comemorar os dois anos da Playteam, equipe de corredores da qual participo quando vou às corridas. Eles têm uma assessoria de corridas também, mas como eu já treinava com o Arthur da academia que freqüento, eu continuei fazendo os meus treinos com ele. Os treinos estão rendendo alguns frutos. Tenho a plena consciência de que não vou chegar a ser nenhuma atleta de elite. Porém, tudo que posso fazer para não prejudicar a saúde, farei. Se eu tiver um incentivo, isto vai ajudar mais ainda.
Ontem, na festa da equipe Playteam, recebi um troféu por ter ficado em primeiro lugar na categoria 41-50 anos feminino da equipe, por pontuação nas corridas. Não sou veloz, nem tampouco corro todas as corridas que acontecem. Porém, nesta categoria, eu pontuei mais que as outras pessoas, por alguma razão. O fato é que fiquei contente com a premiação pois nunca na minha vida ganhei um prêmio assim pela corrida. Quando criança, eu participava de corridas de 100 metros porque na escola em que eu estudava japonês faziam gincanas e éramos obrigadas a correr. Mas, nunca gostei disto. Peguei aversão à corrida! Cheguei a cair em um treino na rua, quase que de propósito, e ralei todo o braço. Naquele ano, não participei da gincana e achei ótimo! Então, vai aqui um alerta aos pais que correm: nunca obrigue os seus filhos a correr ou a praticar qualquer outro esporte simplesmente porque vocês gostam, pois isto pode causar um efeito contrário ao esperado. Eles vão detestar este esporte! Hoje, analisando tudo isto, chego à conclusão de que antigamente, eu não recebi nenhum treinamento profissional para correr, e isto fez com que somente as crianças mais aptas naturalmente a isto fossem incentivadas a fazerem o seu melhor. As outras eram deixadas de escanteio, e eu fui uma delas.
Quando estudava, a minha opção de "educação física", matéria obrigatória, foi para ginástica. Eu sempre fiz musculação, cheguei a fazer ginástica aeróbica, mas nunca pensei que um dia fosse gostar de correr. Mas, corrida de curta distância e de longa distância são coisas bem distintas, não? Pelo menos, pelo que o meu corpo tem sentido, são bem diferentes. A começar pela resistência, pela velocidade... hoje, me sinto bem correndo no meu rítmo, num rítmo que eu sei que vou conseguir sustentar por muitos km. Espero que com os treinos do Arthur, eu consiga continuar gostando de corrida. E com o incentivo dos amigos da Playteam, eu sei que consigo manter o meu rítmo! Going my way...
Agradeço em primeiro lugar ao meu marido pela compreensão e incentivo, ao Arthur pelos treinos eficazes e à Playteam pelo reconhecimento. E, como sempre, aos amigos, colegas e familiares, pois não somos nada sem esta grande torcida!

Treino técnico

Sábado, fomos fazer um treino técnico num parque perto da academia. Sempre que isto acontece, vamos preparados para que as pernas fiquem doloridas depois. Mas, ultimamente, já não tem acontecido isto. Por incrível que pareça, a minha perna não doeu nem ontem, nem hoje. Espero que não doam amanhã, pois, segundo dizem por aí, quanto mais velho a gente fica, mais retardada é a resposta do nosso corpo! Rs. O efeito portanto é retardado!
Bem, o treino durou cerca de duas horas e meia. E como no dia anterior, tínhamos recebido um e-mail dizendo que era para não esquecermos a garrafinha de água, pensei: xiii, lá vem bomba! Mas, foi tudo tranqüilo. Só as passadas largas que deixam a desejar, pois mais largas que isto, realmente, só se for com prótese! Ou com pernas de pau! Rs. Ô dificuldade! Ainda chego lá! Quando for gente grande, eu vou dar umas passadas bem largas!

Cuidando da saúde

Esta semana, fui fazer avaliações rotineiras e outras não tão rotineiras, também.
Há algum tempo, estava sentindo algo como uma bola na garganta, e já tinha ido a um otorrinolaringologista, mas sem sucesso. Ele diagnosticou que a minha garganta estava seca e falou para eu fazer gargarejo, não ingerir muita gordura e nem doces, e (pasmem) "caminhar" 45 minutos por dia! Bem, sobre a alimentação, nem preciso falar, pois desde que eu comecei a fazer controle alimentar com a nutricionista, há 4 anos, eu tenho feito exatamente isto que ele recomendou fazer, ainda com algumas alterações nos dias em que treino.
E sobre andar 45 minutos, eu disse a ele que eu corria, embora eu não tenha físico de corredora (rsrsrs). Então, resolvi procurar outro médico. A sorte foi perguntar sobre um bom médico para uma pessoa que tinha acabado de fazer uma cirurgia de cavidade nasal: o meu amigo Valter Ide, que está me dando algumas dicas sobre maratonas. Aliás, forneceu-me vários materias sobre isto, além das imprescindíveis dicas de "bastidores" como concentração, café da manhã, dia seguinte, etc. Eu devo dizer que, para quem não sabia nada sobre maratonas, estas dicas estão sendo fundamentais. Tenho muito a agradecer ao Valter.
Voltando ao assunto "bola na garganta", o médico que operou o Valter diagnosticou o seguinte: a minha cavidade nasal está um pouco estreita devido a um desvio, zumbido no ouvido esquerdo talvez causado por acúmulo de catarro na parte interna dele, que vem da parte interna esquerda do nariz, e a sensação de bola na garganta é, provavelmente por causa da respiração pela boca. Isto faz com que o ar aspirado sem aquecimento e umidificação devida (quando a gente inspira pelo nariz, o ar é aquecido e umedecido pelo nariz) irrite a garganta e provoque lesões e nódulos na garganta. A solução é uma cirurgia a laser, mas sem muitas complicações, pois segundo ele, se a gente se submete a uma cirurgia destas numa sexta-feira, na segunda-feira, já podemos trabalhar. Bem, espero que seja assim mesmo. E se isto for resolver o problema, não há nada melhor que operar rapidamente, não é mesmo? Não tenho com o que me preocupar. Saúde em primeiro lugar.
Um outro lugar que fui esta semana, foi à nutricionista. Bem, ela tem acompanhado a minha alimentação desde que resolvi emagrecer e adquirir mais qualidade de vida. Depois de perder o útero, os hormônios ficam realmente sem balanço, então, é mais uma razão para ter atenção redobrada. Mas, pelo jeito, tenho feito tudo direitinho: como quando dá fome, antes e depois do treino, procuro não ingerir muito doce, mas como frutas (umas duas ou três por dia)... porém, como o meu treino tem aumentado de distância, ela sugeriu aumentar também a quantidade de comida. Isto não quer dizer "comer qualquer porcaria, porque não engordo e então tudo bem".
Deste jeito, além de prejudicar o treino, meu corpo também vai ficar "acabado". Ela estava contando de uma paciente que corria ultramaratonas. Ela disse que não a encontrava fazia cinco anos. E por coincidência, num dia em que ela estava no Parque do Ibirapuera caminhando com seu cachorro, esta paciente estava lá também, com o seu cachorro. E ela levou um susto quando a avistou, pois, apesar de tê-la reconhecido, percebeu que o cabelo dela estava com raízes brancas , que a pele dela estava ressecada, sem brilho e com algumas rugas (que não deveriam estar lá), enfim, tudo indicava que os treinos talvez estivessem indo bem, mas a alimentação... acho que não estava acompanhando... Fiquei pensando naquelas pessoas que simplesmente querem emagrecer e não tomam cuidado com a dimuinuição da quantidade de alimentos, e nem com a qualidade deles. Acabam ficando fracas, muitas vezes, quando emagrecem, ficam enrugadas, sem falar na baixa-imunidade. Digo isto, pois já perdi um tio que tinha 29 anos e queria emagrecer a todo custo. Eu era adolescente e fiquei realmente chocada. Ele não almoçava mais, comia aqueles biscoitos água e sal... Num belo dia, ele ficou gripado, isto virou pneumonia, foi carregado para o hospital, onde veio a falecer. Hoje, eu vejo que não devemos ficar esperando por fórmulas mágicas para emagrecer, nem comer ou deixar de comer coisas para ter tal efeito. Devemos sempre dosar tanto a quantidade quanto a qualidade do que comemos. Como diz o sr. Mário que corre conosco: nós somos o que comemos! E eu brinco com ele: eu como comida japonesa, é por isso que tenho olhos puxados! Kkk.

18 de fev de 2008

Maratona de Tóquio

Neste domingo, dia 17 de fevereiro de 2008, foi realizada a Maratona de Tóquio, no Japão. Dei uma olhadinha no site da maratona e em alguns assuntos relacionados a esta maratona, inclusive no Youtube. Achei uma coisa fantástica que, se aproveitarmos a idéia para a Maratona de São Paulo, achei que daria até um certo ânimo aos corredores: um show de Taiko! Isto mesmo! Taiko! O que é isto? Bem, se tiverem curiosidade, eu coloquei um link aqui ao lado. Vejam com os seus próprios olhos! Não é emocionante? Na Maratona da Tóquio em 2007, ele estava localizado na linha de chegada, como se observa no link ao lado. Se fosse aqui em São Paulo, acho que poderia estar bem lá na Cidade Universitária, pois assim, quem sabe, animaria muitas pessoas a irem até lá, só para prestigiarem os maratonistas que passarem por lá, não é mesmo? Já ouvi falar tanto que é um local muito deserto para se percorrer na maratona, então porque não ter um chamativo?
Bem, eu encontrei alguns números desta maratona, os quais escrevo aqui para vocês:

Maratona de Tóquio (Tokyo Marathon) 2008
92° Campeonato Nacional de Maratona Masculina
e 29ª Olimpíada Classificatória da Maratona Masculina para a Olimpíada de 2008 (Pequim), realizada em Hong Kong

participantes: 32.000 maratonistas
voluntários trabalhando no evento: 12.000 pessoas
público assistindo nas ruas: 2.260.000 pessoas emocionadas e entusiasmadas. Não é à toa que os jornais noticiaram que foi "O dia em que Tóquio se unificou" para assistir a maratona.

resultados:
1° lugar Victor Rothlin - Suíça 02:07:23
2° lugar Arata (ou Shin) Fujiwara - Japan Railways 02:08:40
3° lugar Julius Gitahi - Quênia (Nissin Foods) 02:08:57

1° lugar Claudia Dreher - Alemanha 02:35:35

O engraçado é que não encontrei mais nenhum resultado feminino, a não ser a da primeira colocada! Rs. Os jornais não noticiam! Rs. Que coisa, hein?

Quanto ao tempo, ao contrário do ano passado, quando choveu, este ano parece ter feito um belo dia! Sorte a deles, pois deve estar bem frio lá! E o mais engraçado são os maratonistas correndo com capas de chuva! Nunca vi algo parecido! Só nas ruas quando a chuva aperta e as pessoas procuram correr para se abrigar em algum lugar, mas nunca em maratonas! Rs. Confiram o link do "taiko" ao lado, que vocês verão! Mas, para quem já viu gente ir de paletó e gravata andar à beira praia, não estranha mais nada! Diferenças culturais, gente, diferenças culturais... rsrsrs.

15 de fev de 2008

Hamster

Hoje, eu tinha um treino de 13 km e pensei em ir para o parque do Ibirapuera correr. Porém, acordei um pouco tarde, e resolvi ir para a academia. Pelo menos, eu teria a certeza de terminar os 13 km em tempo de não me atrasar para entrar no trabalho. O fato é que correr 13 km na esteira não é fácil. Tem um colega nosso que tem uma planilha parecida com a minha, mas o treino dele hoje era de 16 km. Ele disse que não iria para a academia correr, pois não daria tempo, que iria fazer o treino amanhã, sábado, perto da casa dele, na rua. Ele até brincou: poxa, daqui a pouco, vou ter que levar esta esteira para casa!
Eu me senti hoje como uma hamster correndo em sua rodinha... Mas, enquanto corria, fiquei pensando nas vantagens de correr numa esteira. Logicamente, tem desvantagens também, como não poder apreciar uma bela paisagem, estar sempre no mesmo lugar, ser monótono... sem falar que, como eu treino em uma academia de hotel, e atrás tem um outro prédio do mesmo hotel, o meu chefe que "mora" neste outro prédio, fica tomando café de manhã no refeitório que, por azar, fica bem em frente do local onde estão as esteiras! O pessoal do trabalho até brinca que a "diversão" matinal do meu chefe é tomar café da manhã vendo a Mayumi correr na esteira! Ele até comentou um dia: hoje, você estava correndo com uma camiseta nova! Rsrsrs.
Mas, voltando a falar da esteira, e as vantagens dela? Segundo o meu corpo sentiu, a esteira, por ter um amortecimento, ele poupa as suas pernas de impactos mais duros, o que acontece no asfalto. Quando vou fazer treino de tiros de 3 minutos, ele marca exatamente a velocidade dos tiros e você consegue mantê-la até o final dos 3 minutos. Depois, você abaixa a sua velocidade para fazer 1 minuto em rítmo fraco, também com uma velocidade controlada. Com isto, aprendi a me controlar no início das corridas, quando estamos cheios de energia e a tendência é sair correndo com tudo. Mas, se você fizer isto, fatalmente, vai "quebrar" no meio da corrida.
Então, se a esteira consegue controlar a sua velocidade, o seu corpo vai aprendendo aos poucos a se controlar também.
Bem, aos poucos, alternando a corrida no asfalto e na esteira, vou cumprindo a minha planilha, mesmo me sentindo uma hamster!

10 de fev de 2008

DESCOBRIRAM!!!

Ô gente mais rápida, estes blogueiros! Estou ficando com medo! Rsrs. Eu estava aqui esboçando para fazer um blog, e até comentei com a nossa amiga Jacke que deu-me a dica para montar um, que em breve iria anunciá-lo. Mas, acabei deixando um rastro quando visitei o blog dela e assim, dois blogueiros já me descobriram! Eu disse a eles que estava me sentindo como uma mãe que está fazendo um bolo, e antes dele ficar pronto, vem os filhos e comem um pedaço! Rsrs.
Bem, gente, agora que descobriram, vamos em frente, né? A casa ainda está em construção, mas se quiserem "ajudar a pintar as paredes" agradeço! Obrigada! Kkkk.

7 de fev de 2008

Semana do Carnaval também é para treinar!

Ah, quem disse que eu iria folgar? Hahaha, o pessoal da academia pode não ter me visto com freqüência por estes dias, mesmo porque a academia fechou no sábado e só reabriu na quarta-feira. Mas eu treinei! Na quinta-feira, tinha um jantar com uma amiga de Curitiba, lá na Liberdade (que outro lugar poderia ser para duas japonesas se encontrarem, né? Rs.) Eu coloquei o carro num estacionamento perto do restaurante. Ficamos conversando, conversando e... quando foi umas 11 e pouco da noite, resolvemos ir embora. Pagamos a conta e estava caminhando em direção ao estacionamento, dizendo que no dia seguinte, sexta-feira, eu ia correr bem cedo no Ibira, pois tinha um treino de 13 km para fazer. Mas, ao aproximar do mesmo, eis que ele se encontra FECHADO!!! Trancado com cadeado e tudo! O meu carro ficou preso! E agora? Eu e minha amiga pegamos um táxi, e eu desci perto da minha casa, ela seguiu até a casa da mãe dela. E o carro? E o treino? Por conta do rapaz do estacionamento que não me avisou que o estacionamento fechava às 11 horas, eu fiquei sem treinar na sexta de manhã. Fui buscar o carro de manhã bem cedo e de lá, fui direto ao trabalho. Só fui treinar no sábado de manhã, bem cedinho, para não atrapalhar o schedule! Ô como atrapalha uma pessoa irresponsável, não? Já imaginou se no dia seguinte cedo tivesse que ir a uma corrida beeeem longe daqui? Como eu poderia fazer? Arrombar o estacionamento? Ir de táxi e apresentar a conta ao rapaz que trancou o meu carro no estacionamento? É, Jacke, não tem jeito: se deixa na rua, nos roubam, se deixa no estacionamento, guardam tão bem guardado o nosso carro que não soltam!
Bem, entra a semana do Carnaval e eu treinei na segunda de manhã, no Ibira (pista de cooper) e na quarta na academia, mas num horário mais tarde. E hoje, voltamos ao horário normal. Treino de musculação: abdominais, glúteos, pernas... Se amanhã não chover, eu treino no Ibira, mas se estiver chovendo, vou direto para a academia dar uma de hamster: rodar 13 km na esteira! Kkkk. Bons treinos, pessoal!