30 de mar de 2008

Êta treininho puxado, sô!

Sei que tem gente esperando para saber a "receita" de como dar passadas mais largas. Se até a Mayumi com pernas curtinhas pode conseguir (será?), qualquer pessoa pode conseguir, não é mesmo? Pois é, só que eu tenho um outro problema: não consigo andar e mascar chicletes! Ou seja, não consigo fazer duas coisas ao mesmo tempo! Bem, vamos ao relato do treino de ontem! Eu ia postar ontem, mas não deu, vocês saberão porque se conseguirem ler este relato até o final.
Depois de ter realizado uma avaliação física na academia, veio o resultado: tudo excelente, só que com um resultado apenas "bom"! O que foi? O teste cardiorespiratório! Por que? Embora eu tenha me dedicado ao máximo para conseguir correr rápido na esteira, a velocidade que eu alcancei não foi suficiente para eu percorrer a quilometragem mínima para alcançar o resultado "ótimo" ou "excelente". Ou seja, o resultado do teste não varia de acordo com a estatura ou o BPM da pessoa. Mas, se for assim, nunca vou conseguir um resultado melhor, pois vou ter que dar 3 passadas enquanto as pessoas com pernas mais compridas terão que dar apenas 1 passada, não? A saída? Passadas mais largas! Rsrs. Deste jeito, a minha barriga vai arrastar no chão!
Uma outra observação: estou com as costas meio curvadas! Olha postura! Por causa disto, eu fiz várias sessões de quiropraxia, pois, embora eu tenha sentido que as minhas costas estavam curvadas, eu não conseguia endireitá-la. Mas, além disso, eu preciso de mais exercícios para as costas!
Depois de uma semana convalescendo por causa da cirurgia de desvio de septo, voltei a treinar na quinta-feira, e ontem (sábado), o Arthur marcou um treino técnico na USP, um local diferente do que costumamos treinar. Embora eu tenha estudado e trabalhado por um tempo lá, eu não tenho noção de direção. Eles marcaram um treino perto de um prédio que eu fiquei procurando por 30 minutos! Ainda mais esta! Rs.
Bem, depois de um belo alongamento, como eu cheguei atrasada, os outros alunos já estavam no treino específico de corrida. E como o Arthur já estava sabendo do resultado da avaliação, ele "pegou no meu pé" para tentar corrigir os meus vícios. Mas um vício que tenho há muito tempo e que ele já tentou corrigir muitas vezes, não vai ser corrigido em uma ou duas horas, né? Se os outros já aprenderam a fazer direitinho, eu é que estou meia atrasada no processo. Como dizem, "falar é fácil, fazer é que é difícil" Rs. Portanto, não vamos nos iludir, pois o caminho é loooongo! Fazendo uma comparação com uma dieta de emagrecimento, por exemplo, eu diria que não adianta a gente comprar revistas e mais revistas de como se manter em forma, pois se não aplicarmos o que lemos nestas revistas, não vamos emagrecer. Então, acho que não vai adiantar eu saber que para dar passadas mais largas precisamos fazer isto ou aquilo, se não praticamos isto todos os dias, ou se não tivermos consciência disto a cada passo que damos.
Ontem, depois do alongamento, o treinador disse para eu trotar que ele ia ver como estava correndo, de fato. Como os outros a esta altura já tinham terminado o treino, ficou somente eu correndo. Depois de uma volta, ele deu exercícios de passadas: pisa com o calcanhar e rola o pé, tentando levar o pé o mais para frente possível. Assim, você vai dar passadas mais largas. Falar é fácil, né? Rs. Eu tentei! E ele continuou: olha, não relaxe as pernas na hora de levá-la para a frente, tensione-a com o intuito de pisar com o calcanhar! E eu: então na hora de eu levar a outra perna para frente, eu posso relaxar a que vai para a parte de trás? E ele: não, porque você vai ter que rolar o pé até lá atrás e assim, impulsionar a perna para dar outra passada para frente! Ok, vamos lá, primeiro andando e depois correndo!
Kkkk, só que, tensionando as pernas acabei tensionando os braços também, e parecia um soldadinho de chumbo! E o treinador: Mayumi, relaxa os braços! E eu relaxava os braços, mas as pernas também. "Mayumi, olha as pernas!" E eu tensionava as pernas e os braços também! Kkk.
Depois deste treino, foi a vez dos treinos de tiros: 3 tiros com intervalos de trote! Vamos lá! Mas, o meu nariz, coitado, começou a entupir, acho que por causa da cicatrização ainda em processo. Após estes 3 tiros eu disse: "Beu dariz esdá endubido". E ele: Ah é, tome um pouco de água e vamos continuar! Rsrsrs. Ai, mais 3 tiros. E mais 3... Bem, até aqui, tudo ok, a não ser o nariz entupido.
Bem, o treino terminou assim, sem complicações. Não me sentia cansada ainda, depois disso, fui almoçar com meu marido no shopping, voltei para casa, fui a um chá de bebê... e terminou o dia. Mas, à noite, acho que o cansaço bateu e eu acabei adormecendo no sofá. Tarde da noite, meu marido disse que, por mais que tentasse me acordar, eu estava em off! Daí, ele resolveu usar uma estratégia para me acordar. Ele gritou: "Mayumi, você vai perder a hora do treino!". Parece que deu certo. Ele disse que na mesma hora, eu me levantei assustada, e fui direto para a cama dormir. Só que eu não me lembro do que fiz! Só sei que hoje, eu acordei na cama, e o mais engraçado, sem dores, sem dramas.
Taí, gente, passadas que tenho que treinar mais que as outras pessoas! E a postura que tenho que corrigir. Talvez eu procure aulas de Pilates. O que vocês acham, hein?

26 de mar de 2008

O que é isto no nariz?

Oieee! Estou quase nova em folha! Rs. O médico já me liberou para treinar amanhã, então, vou começar aos poucos, novamente!
A minha Páscoa foi sem chocolate, pois sou alérgica a choco! Ai, que azar, não? Mas comi muito bacalhau, já que sou bem portuguesa, como vocês sabem! De japonesa, só tenho o rosto! Rsrs.
Fiz um monte de assepsia nas cavidades nasais! Estava sangrando até a pouco, mas agora já não está mais. Acho que fiz algo que não podia no domingo! Eu fiquei borrifando Rinosoro para lavar as narinas e vi que tinha um "pelinho" me incomodando dentro do nariz. Peguei uma tesourinha e cortei o suposto "pelinho". Quando peguei ele nos dedos, vi que era um pedaço de fio! Kkkkk. Ah, se o médico fosse puxá-lo para tirar os pontos, estaria ferrada, pois está bem curtinho! Mas, dei sorte, pois a auxiliar do médico disse que o ponto foi dado para segurar o septo no lugar e que eu poderia ter tirado da posição e ficado com o nariz torto se eu puxasse o fio! Kkk. Bem, agora, chega de aprontar! Vou dormir e ver se amanhã acordo bem disposta para um treininho! Bom soninho!

22 de mar de 2008

Estou viva! Feliz Páscoa!

Hahaha! Meus amigos, voltei da cirurgia! Foi a primeira vez na minha vida que tomei anestesia geral! Nem vi quando me operaram! Esta foi, se não me engano, a sexta cirurgia que faço na minha vida, contando as pequenas também. Estou virando uma Frankestein! Rsrs. Toda emendada! Ainda bem que hoje em dia, não se usam mais tanta sutura com agulha e linha como faziam antigamente, né? Hoje, há aparelhos de laser que fazem a recuperação ficar bem mais rápida! Para vocês terem uma idéia, na segunda-feira, já vou trabalhar! Êta, que bom trabalhar como todo mundo! Chatice é ficar em casa, né?
Bem, hoje, eu passei aqui somente para desejar uma Feliz Páscoa para todos e dizer que estou bem, graças a Deus! Uma boa semana de treinos para vocês! Eu vou ficar caminhando! Até mais!

18 de mar de 2008

Avaliação física

A cada 6 meses, a academia sugere fazer uma avaliação física para saber se estamos bem, como poderemos modificar os treinos para dar melhores resultados, como trabalhar melhor os músculos, etc. E hoje, era o dia da minha avaliação física! O dia D!
E lá vem o "avaliador", com sua "pinça" de adipômetro e cara de mau! Aiiii, não vai me pinçar, não! Já fiz este teste de outro jeito: a nutricionista fez o teste de bioimpedância! É... não adiantou falar muita coisa! Fui pinçada! Rsrsrs.
Depois, tiraram as minhas medidas e começaram os testes de resistência de braços, pernas e abdominais.
- Flexão de braços! Vamos lá, quantas flexões você agüentar em 1 minuto! 1, 2, 3, 4, 5....48, 49, 50! Pode parar!
- Ai, afffe!
- Pode descansar, tomar água e vamos lá! Flexione as pernas como se fosse agachar e levante. Faça quantas flexões você agüentar em 1 minuto! Vamos lá, começando: 1, 2, 3, 4, 5 ....49, 50, 51, 52! Pode parar! Agora, abdominal: 1, 2, 3, 4, 5.... 28, 29... não vale roubar, vamos, com os braços cruzados na frente! Chegou!
- Vixe! Ai, acho que vou embora!
- Que! Agora, vamos lá fora, vamos fazer o aeróbio! Esteira! A quanto por hora você corre?
- Depende! Por quantos minutos? Rsrs.
- Por 12 minutos.
- Bota aí, uns 10 km/h.
- Ok, se você se cansar querer diminuir a velocidade, pode tá?
- Ok, vamos lá! Zzzzzssssssss.10 kmh... vou aumentar um pouquinho só. 10,5km/h ssssss (5 min.) ssss, 11 km/h ssss (10 min.) ssss 11,5 km/h! Sprint final! Rsrsrs.
E o "avaliador":
- É isto aí, Mayumi, deixando os quenianos para trás! Vamos lá! Eta, deu a louca na Mayumi, está ultrapassando o Marilson! Kkk.
Piiiiiiii. Zzzzzz. Pi, pi, pi, pi, pi... é acabou-se o sonho! Ou o pesadelo?
- E aí, Diogo, será que está bom? Depois de ultrapassar todo mundo sem sair do lugar! Só sendo ninja, né?
- Tá bom demais, mas vou pedir pro Arthur (meu treinador de corridas) dar mais exercícios de passadas, para você conseguir levantar um pouco mais o joelho e cair com o calcanhar no chão. Assim, você vai aumentar a largura das passadas e poder correr um pouquinho mais rápido.
Ai, de novo! Passadas laaaargas! Ninguém enxerga as minhas pernas curtas! Rsrsrs.
Bem, agora, vamos esperar pelo resultado da avaliação. Agora que terminou, deixe me contar uma coisa. Lembram-se de que falei que eu ia fazer uma pequena cirurgia para corrigir um desvio de septo? Pois é, decidi fazê-la esta semana, antes do feriado. Mas na segunda-feira, já estarei de volta ao trabalho. Só não poderei treinar de imediato, mas não ficarei por muito tempo parada.
Fui fazer uns testes para ver o que estava acontecendo e o médico mostrou através de uma câmera, até as minhas cordas vocais. Eu só tinha visto isto nas aulas de fonética e fonologia! Fiquei maravilhada! Ele disse: diga "iiii" (que é a vogal mais alta que temos) . As cordas vocais se abriram! Eu fiquei olhando no vídeo e não resisti! Embora ele dissesse para dizer somente o "iii", eu continuei: aaa, ooo, uuu, eee... rsrsrs. E as cordas vocais, ora se abriam , ora se fechavam... E a úvula! Sabem aquele sininho da garganta? Tem este nome porque parece uma uvinha! Hahaha.
É... vamos ver no que dá! E vamos em frente! Passadas laaaargas!

17 de mar de 2008

Um pai perdido na corrida!

Neste domingo, foi realizada a corrida da Track & Field, nas imediações do Shopping Villa-Lobos. No dia anterior, meu marido tinha que trabalhar à noite, e eu estava apreensiva, pois quando isto acontece, de vez em quando, o telefone toca de madrugada. Felizmente, ele não tocou e pudemos acordar em tempo para ir à corrida. Chegando lá, encontrei alguns colegas corredores, como a Márcia, a Drica e o Marcelo Mauro da Playteam. Fiquei procurando o Valter Ide por um tempão, pois tinha que devolver alguns prospectos de maratona que ele tinha me emprestado, mas não consegui encontrá-lo! E o nosso amigo Rui Carlos, cuja filha treina com a Jacke na Run for Life, estava procurando-a, pois ela iria correr, mas não tinha conseguido encontrá-la. Dada a largada, estava indo em meu rítmo, a passos de formiga, quando o Rui Carlos chega correndo e diz que não tinha encontrado a filha ainda e que iria correr o percurso para ver se a encontrava. O fato é que, se ele corresse comigo, iria "trotar", pois eu corro a uma velocidade média de 10km/h. Ele disse que tinha vindo da casa dele correndo e isto daria aproximadamente 8 km. Depois ele foi "trotar" por 10 km, agüentando minhas paradas para tomar água! Aaah, "IA" agüentar minhas paradas, massss, na primeira parada, quando abri o meu copinho para beber, ele já deu uma dica:
-Mayumi, não abra o seu copo assim, pois assim, você derruba toda a água pelos lados, sem falar que você pode se engasg...
-Cof, cof, cof
-Eu disse! Então, faça um furinho aqui e aperte o copo assim, como se fosse um squeeze!
-Aaaah, assim não engasga! Rsrsrs.
Pois é, gente, perdi o pretexto para dar uma paradinha e respirar! Rsrs. Tive que ir no rítmo de trote do seu Rui, mas eu estava a mil por hora! Ou melhor, a 10km/h.
Mais da metade da corrida e a gente não achou a filha dele, a Juliana. Chegou no 9° km e ele disse:
-Bom, agora é hora de dar o sprint final!
-Um sprint? Tô ferrada -pensei. Pensei que tivesse correndo com tudo! Kkkk.
E foi nesta hora que encontramos a filha dele. Estava dando o sprint final dela, também! E como corre! Fui na onda e chegamos ao final. Olhei pro relógio e tinha dado 58:22! Nossa, voei! Normalmente, termino as provas em mais de 1 hora ou coisa parecida, mas terminar em 58:22 é a primeira vez. Teve uma outra vez que consegui terminar em 58:55, mais ou menos. Portanto, ontem, eu bati meu recorde pessoal, que para o Rui, foi um trote de leve! Mas, valeu! Se não fosse pelo sprint, não teríamos encontrado a Juliana, não? Aliás, depois de terminada a corrida, eu comentei com ela:
-O seu pai corre, hein?
E ela:
-É, sabe que na semana passada ele foi correr comigo e quase me matou!
Nossa, se eu soubesse, teria diminuído o rítmo! Rsrsrs. Finda a prova, me alonguei e estava no estacionamento quando avisto uma pessoa que já tinha visto em algum lugar... onde será que o vi? Olhei, olhei a camiseta escrita "Run for Life" e daí lembrei: ah, a foto do blog da Jacke! Bati nas costas dele e perguntei:
-Você não é Beto, o amigo da Jacke?
Ele ficou me olhando com aquela carinha de "nossa, será que estou ficando tão famoso assim?". Daí eu disse:
-Vi sua foto no blog da Jacke! Eu sou amiga dela!
-Ah, foi mesmo? Pois é, treinamos juntos! Depois que comecei a correr, já emagreci 8 quilos. Olha não como mais frituras, quando dá vontade de comer, como fruta, sabe, sempre tem uma fruta na minha malinha, no trabalho, no carro...
E olhou para o meu marido e disse:
- Você corre? Não? O que está esperando? Já está de tênis, é só começar. Quando eu comecei, não conseguia correr 500 metros, depois de tantos treinos, fiz a minha primeira prova de 10 km em 1:10, depois baixei pra 1:00, depois pra... e hoje fiz em 55 minutos.... olha, isto vicia! É muito bom., começa aí, não fica parado não...
Rsrsrs. É realmente, uma simpatia de pessoa, este Beto!
Entramos no carro e... quem disse que íamos conseguir sair de lá! Todo mundo querendo sair ao mesmo tempo, um baita congestionamento... mas, apesar disso, conseguimos sair em 15 minutos! Na marginal, avisto uma pessoa com mochila nas costas correndo. Quem era? O Rui! Ele estava indo para casa correndo! Eu até dei uma buzinadinha, mas como o vidro da janela do carro estava fechado, ele parece não me ter reconhecido. Façamos as contas: 8 km correndo de casa para o Villa-Lobos, depois, mais 10 km de "trote leve", e mais 8 km de volta para casa: 26km! Ah, mas ele deve ter chegado em casa e almoçado uma bela de uma macarronada, não foi, Rui? Depois de tudo isto! Hummm, só de imaginar! Rs. Mas, obrigada pela companhia na corrida! Graças ao seu "trote leve", eu bati meu recorde! Rs. Valeu mesmo! E Juliana, tu tens uma sorte de ter um pai assim! Até a próxima!

14 de mar de 2008

Como o pato corre?

A nossa amiga Jacke em uma das postagens do blog dela disse que ela corria como uma pata, que queria treinar para correr bonito. Sempre que ouvia alguém dizer isto, eu ficava pensando: como um pato corre? Hoje, fui treinar no Parque do Ibirapuera. Lá perto do lago, há muitos patos. Então, quando um deles estava andando bem na minha frente, resolvi matar a minha curiosidade. Cheguei atrás do pato pisando forte, fazendo barulho com os pés. Ele fez "quac!" e saiu correndo. Hahaha, parecia o Donárudo Dakku (Pato Donald em japonês). Eu saí atrás, observando como ele corria, mas foi por pouco tempo, pois ele foi em direção ao lago. E se eu continuasse atrás dele, eu iria cair no lago. E antes que o pato me hipnotizasse e eu continuasse a imitá-lo, resolvi voltar ao treino. Jacke, definitivamente, acho que você não corre como uma pata. É muito difícil imitar um pato correndo!
Na última volta do meu treino, os patos todos estavam muito barulhentos, faziam uma sinfonia: "Quac, quac, quac, qüen, qüen, qüen, qüen, gggg, kkkk". Pensei por um momento que eles estariam fazendo uma reunião para estudar a melhor estratégia para se vingarem da Mayumi que perseguiu um dos companheiros. Mas acho que era a hora do café da manhã, pois estavam todos reunidos e tinha uma pessoa jogando comida! COMIDA! Poxa, eu também estou ficando com fome-pensei. Bem, mais alguns metros e acabo o meu treino. Daí, vou tomar o meu segundo café da manhã e voar para o trabalho. Normalmente, deixo uma penca de bananas sobre a minha mesa de trabalho. Quando bate a fome, eu como banana. Ultimamente, tenho levado outras frutas, também. E na hora do almoço, hoje, fui premiada! Tinha uma promoção no restaurante por quilo onde sempre como que, ao acertar um preço redondo, você ganha um suco de laranja. E hoje, por sorte, a balança acusou R$9,00 redondinho! Poxa, por pouco que não como pato com laranja! Pessoal, bons treinos!

10 de mar de 2008

A minha primeira meia-maratona

Olá, olá, pessoal: Estou viva! Sobrevivi! Rsrs.
Antes de fazer a inscrição para a minha primeira meia-maratona, já tinha lido em alguns lugares que esta prova que aconteceu ontem não era recomendável, pois seriam duas voltas iguais de 10,5 km, e que psicologicamente, ficaríamos sem motivação para continuar a correr na segunda volta, que a água distribuída no percurso era morna, que a paisagem era horrível... eu já fui imaginando mil coisas. Na sexta-feira, a Jacke tinha postado no meu blog, desejando que a minha primeira minha maratona fosse uma experiência tão boa quanto foi a dela. E isto, de uma certa maneira me deixou menos pessimista!
O Valter Ide escreveu-me dizendo que, segundo o que ele leu na revista Runners World, temos que ter em mente 3 metas ao ir para uma corrida: uma pessimista, uma ideal, e outra otimista. Então, eu defini as minhas 3 metas:
- a pessimista: acabar a prova andando, sem fôlego
- a ideal: acabar a prova correndo e em tempo de chegar até o final sem ser recolhido pelo ônibus (poxa, ainda penso nos ônibus que recolhem a gente no final da prova! Ele nunca me pegou, mas tenho que tomar cuidado, né?)
- a otimista: chegar nos metros finais e ter fôlego para dar um sprint
Eu nem defini o tempo para isto tudo, mas o que queria mesmo é chegar inteira para poder continuar treinando a partir do dia seguinte. Chegado o dia, fui me encontrar com o Mário que iria correr junto comigo, e o Arthur, o treinador que nos passou o alongamento e depois foi "torcer" pelas meninas no Jockey, deixando o Mário morrendo de inveja. Ainda, encontrei o Juvenal da Playteam no guarda-volumes, mas depois, ele desapareceu, não sei onde foi. Queria ter tirado uma foto com ele, mas nem deu. E a nossa torcida cativa foi meu marido com a câmera na mão e o Alberto que treina conosco e já correu uma meia-maratona no ano passado. Foi dada a largada e fomos, eu e o Mário, em rítmo beeem confortável, sem forçar. Mas acabei me perdendo dele, pois tinha muita gente. O tempo estava fresquinho ainda na primeira volta. Mas logo no início do Minhocão, vi um homem desmaiado, sendo atendido pelas pessoas que estavam por perto. Acho que ficou tudo bem, pois não recebemos mais notícias dele depois, e na volta, ele já não estava mais lá. Estava chegando ao final da primeira volta quando os "animadores" diziam: "Gente, uma notícia boa! O Vanderlei (Cordeiro de Lima) está lá atrás! Vocês estão na frente dele!" Rsrs. Graaande notícia! Lógico que ele estava quase encostando em nós: ele na segunda volta e nós na primeira! Quando estava no km 18, mais ou menos, alguém veio por trás e disse: "Ô formiguinha, você ainda por aqui?" Era SEU Mário, com toda a energia que tinha reservado pro final. E eu já estava mais devagar. Como eu não cosigo fazer duas coisas ao mesmo tempo, vim pelo percurso parando para tomar água, parando para tomar gel, parando para beber Gatorade (pois é, pessoal, embora tivessem falado tão mal desta prova, teve distribuição de GU e de Gatorade). E depois do km 18 até o final, o Mário e eu viemos lado a lado... Tinha uma menina com uma camiseta escrito "Bem-te-vi". Ela começou a caminhar num certo trecho e o Mário dizia: bate as asas, bate as asas! E eu pensando cá comigo: "SEU Mário, vai apanhar do namorado dela, que está bem do lado!" Rsrs. Mas, ele também já o tinha visto, e disse: "Ah, agora que está com o namorado do lado, ela vai voar!" Chegando nos metros finais, eu até queria dar um sprint, mas o Mário disse: "Ô, Mayumi, não vamos nos arriscar, vamos devagar!" Acho que foi bom assim, pois chegamos numa boa, sem esgotar o tempo limite da prova! Pelo caminho, ainda recebi vários incentivos do pessoal. Encontrei o Wilson (acho que era este o nome dele) da Playteam, eu passei duas vezes por ele e ele me chamou pelo nome. Depois, na Av. Pacaembú, avistei outras pessoas da Play que não consegui identificar... desculpem-me mas não enxergo direito!
No final, fomos buscar o kit e a medalha e, como no dia anterior tinha sido o Dia Internacional das Mulheres, recebemos, além do kit, um botão de rosa e 3 bombons com recheio de licor com cereja. Está certo que não teve as mordomias todas da prova do Jockey, mas para mim, que saio quase sempre correndo para casa depois de terminada a prova, estava de bom tamanho. Ah, sabe quem encontramos depois? A menina do "bem-te-vi"! E o Mário ainda a parou e disse: "Olha, acho bom você dar uma olhada nas suas passadas. Você está calçando o tênis certo? Vai fazer um teste de pisada!" E a menina que estava com o namorado que a acompanhou na corrida disse: "Obrigada, valeu!" Depois que o casal se foi, ele ainda comentou conosco: "O rapaz está pisando direitinho, mas ela estava pisando torto". E eu disse: "Poxa, você está bem mesmo, hein? Reparou até nas pisadas deles!" Bem, reparar nos outros, tudo bem, mas vamos fazer as coisas certinhas, também, né? O Arthur nos deixou à solta mas, vamos nos alongar antes de irmos embora! E lá fomos nós, movidos remotamente pelo treinador! E... no dia seguinte, pensei que não ia conseguir ir à academia mas, levantei-me cedo, e lá fui! Como a planilha marcava "caminhada", fui com a intenção de caminhar na esteira, mas chegando lá, mudei de idéia: dei uma caminhadinha de uns 15 minutos e fui fazer aula de alongamento. Muito bom! E lá vamos nós para a próxima meia-maratona: dia 13 de abril!

7 de mar de 2008

Dia Internacional das Mulheres e minha primeira meia...

E aí, pessoal, treinando muito? Não se esqueçam, meninas, amanhã, é o nosso dia! E para comemorar, parece que muitas colegas irão correr a Circuito Vênus, uma corrida exclusivamente feminina, com camiseta customizada com cristais, medalha também em forma de pingente de cristal! Infelizmente, eu não irei nesta corrida, pois o Arthur aconselhou-me a correr a meia-maratona no Pacaembú e adjacências, como um treinamento para a maratona.
Confesso que, quando ouvi falar da Circuito Vênus, fiquei interessada... mas como já tinha me inscrito na meia-maratona, juntamente com o "Seu" Mário que treina conosco, acabamos não voltando atrás na nossa decisão. Ops, desculpe-me seu Mário: EU acabei não voltando atrás na minha decisão, pois o senhor não tinha nem como correr a Circuito Vênus, né? Aliás, hoje, ele estava reclamando: "Poxa, Mayumi, o Arthur nos fez inscrever nesta meia-maratona, e depois disse que ia alongar a gente lá, e correr para o Jockey para torcer pelas meninas do nosso grupo! Eu também queria ir torcer pelas meninas, mas ele me impediu e vai sozinho! Isto não vale! Faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço?" É isto aí, seu Mário, recado dado ao Arthur! Kkkk. Então, a situação no domingo é a seguinte: eu vou fazer a minha primeira meia-maratona deixando de participar de uma prova em homenagem às mulheres, e o seu Mário também estreará na meia-maratona com uma pontinha de inveja do Arthur que irá sozinho torcer pelas meninas! Go, seu Mário, go!

4 de mar de 2008

Olha a quilometragem aumentando...

Pois é, meus amigos, segundo a minha planilha, hoje era dia de correr 16 km. E com esta quilometragem aumentando, tenho que programar melhor as corridas de finais de semana. Conversei com o meu treinador e ele disse: "Por enquanto, inscreva-se em uma meia-maratona. Depois, a gente vê o restante das corridas". Participar de provas é sempre muito bom, pois além de encontrarmos estímulo para correr, a parte social é bastante agradável. Mas, nem sempre é possível participar delas. Neste final de semana, por exemplo, sei que aconteceu uma prova na USP, mas não tinha me inscrito, pois sabia que ia trabalhar. Mas, se tivesse participado, talvez a minha planilha precisasse de modificações. É difícil dosar a quantidade e a qualidade dos treinos, mas se não fizermos isto, com certeza, vamos "quebrar" em algum momento. Antes, quando na minha planilha vinha escrito "caminhada", depois de uma prova, eu sempre perguntava se podia "trotar" em vez de caminhar. E o Arthur sempre respondia: "Caminhe, não trote, não force, mas pode caminhar sem limite de tempo, o quanto você agüentar". Só que, uma hora você tem que parar, pois tem o fator tempo: tenho que trabalhar! E ainda, como não tenho muita noção de direção, se deixar, eu vou para fora da cidade e não saberei mais voltar! Sabem daquela história do senhor que estava obeso e o médico disse para ele caminhar 10 km por dia, e no final do mês, ele fazer um retorno para ver se estava tudo bem? Pois é, passados 30 dias, este senhor telefona para o consultório e diz: Doutor, eu estou muito bem, emagreci muito, mas não posso voltar para o seu consultório, pois estou a 300 km de casa e já nem sei onde estou! Este poderia ser eu!
Bem, mas voltando ao assunto "aumento de quilometragem", tenho notado que agora começo a impor o meu rítmo. Antes, eu tinha vontade de sair correndo com tudo e correr até quando agüentasse naquele rítmo. Mas, agora, eu saio mais calma e agüento um pouco mais de tempo naquele mesmo rítmo. Não é muito rápido, mas é o meu rítmo. Nem vou me comparar a ninguém, pois eu sei que não consigo sustentar um rítmo muito rápido por muito tempo. E quando treino sozinha, sem a presença do treinador, procuro lembrar dos seus conselhos, mas nem sempre é possível fazer tudo ao mesmo tempo. Por exemplo, ele diz que é para tomar cuidado com a postura, pisar de modo que o calcanhar encoste primeiro no solo e rolar o pé. Ao mesmo tempo, ele quer que dê passadas largas para não nos cansarmos muito. Logicamente, para tudo isto, teve um treino técnico, mas a gente tem que aplicar o que aprendeu, né? Como eu sou uma pessoa que não consegue "andar e mascar chicletes ao mesmo tempo" (nem é assobiar e chupar cana!), eu vou tentando sincronizar as coisas, mas é difícil! Imaginem vocês, eu participando de uma aula de ginástica aeróbica! E de spinning, então? Rsrs. Como sou baixinha, a bicicleta de spinning é muito grande para mim. E quando fui fazer uma aula para experimentar, gastei muito mais calorias que as pessoas "normais"! O instrutor dizia: Mayumi, não estique os braços! E eu flexionava os braços, mas não conseguia sentar no selim. Daí, o instrutor dizia: Mayumi, sente-se! E eu sentava, mas esticava os braços. No final da aula, fiquei tão cansada e tão "esticada" que acho que cresci uns 5 cm! Definitivamente, spinning com bicicleta para adultos, não é para mim! E mais do que nunca, eu senti que "não consigo fazer duas coisas ao mesmo tempo"! Uma coisa de cada vez, uma coisa de cada vez, como diz o cobrador de ônibus de Salvador (uma amiga pegou um ônibus em Salvador e, como estava com o dinheiro certinho para pagar, queria entregá-lo ao cobrador e passar pela catraca. Mas o cobrador que estava contando o dinheiro da sua caixa disse: "Peraí, moça, uma coisa de cada vez!"). Bem, não precisa ser muito devagar, mas eu vou no meu rítmo, fazendo uma coisa de cada vez: passos largos e costas curvadas, costas eretas e passadas curtinhas... going my way... mas estou tentando melhorar, viu? No stress, no stress!