5 de jun de 2008

Como vocês pisam? Como eu piso?

Oi, pessoal:
Olha, já vou avisando: hoje, a minha postagem será beeem séria! Rsrsrs. Mas é por uma boa causa! Se vocês acompanharem o texto abaixo, verão.
Há algumas semanas, eu disse que fui fazer um teste de pisada bem completa. E nesta semana, eu recebi o resultado parcial do teste feito. Digo "parcial", pois o teste foi feito em vários tipos de terreno, e o pesquisador Vitor Tessutti (vtess@usp.br), passou-me primeiro o do asfalto (para vocês sentirem como a coisa é bem completa e complexa). Gostaria de agradecer muito à equipe de pesquisadores pelo envio do resultado e retribuir com a divulgação deste trabalho tão sério e necessário.
Abaixo, estou postando um texto da fisioterapeuta e pesquisadora Ana Paula Ribeiro, e depois o resultado do meu teste para quem interessar! Podem ver, não tem chulé! Rsrs.
A equipe está à procura de corredores (as), principalmente os (as) que tiveram ou estão com fascite plantar. Portanto, eu publico aqui o texto da Ana Paula para mais informações aos interessados em fazer o teste, principalmente aqueles que se encaixam no perfil acima!
Yoroshiku onegai shimasu! Peço a colaboração de todos os leitores! Escrevam para eles, telefonem! Vale a pena conferir, ok?


Estudo sobre a ocorrência da fascite plantar em corredores

Os corredores estão sujeitos a grandes sobrecargas nos pés devido ao impacto do calcanhar no chão que pode chegar de 3 a 4 vezes o peso corporal.
Diante desse fato, estudos revelam que a fascite plantar ocupa o 3º lugar entre as lesões dos membros inferiores de corredores, acometendo cerca de 15% dessa população.
A fascite plantar é uma inflamação da fáscia, que resulta em dores no calcanhar.
Esse sintoma de dor é tratado, porém, necessita de um longo período de tempo, mas mesmo assim a recorrência da doença é freqüente após os tratamentos.
Por tal motivo, o Laboratório de Biomecânica do Movimento e Postura Humana do Departamento de Fisioterapia da Faculdade de Medicina da USP, está realizando um estudo para avaliar a distribuição da pressão plantar de corredores com fascite plantar e dos que já tiveram a doença a menos de um ano. Futuramente, a partir desses resultados será possível construir palmilhas mais eficazes ao longo do tempo.
A pesquisa é gratuita e aos interessados em participar, é necessário primeiramente responder a um questionário.
A realização do teste será por meio da colocação de uma palmilha dentro do tênis (foto abaixo), a qual medirá as sobrecargas impostas aos pés durante a realização de uma corrida curta de 40 metros.
Em agradecimento à sua participação, será entregue após avaliação dos resultados um relatório auto-explicativo das regiões dos pés que estão recebendo maior sobrecarga.
Veja ao lado direito uma foto demonstrativa das distribuições das pressões plantares dos pés que constará no relatório final.
Para realização do teste é necessário agendar data e horário, pois assim, garantimos sua comodidade. Para mais informações e agendamentos de horários, favor entrar em contato com a fisioterapeuta Ana Paula Ribeiro pelo telefone: (11) 9139-2168, ou através do e-mail: apribeiro@usp.br

Relatório de Medição da Pressão Plantar Durante Corrida in loco
Nome: Mayumi Edna Iko Yoshikawa
Superficie: Asfalto
Data Coleta: 17/5/2008
Caract. Pisada: Neutra (D) Neutra com tendência à pronação (E)
Corredora sem lesão nos ultimos 6 meses.
1. Nota-se que a corredora apresenta no retropé esquerdo maiores valores na região medial e central, caracterizando esta pisada como neutra com tendência à pronação. No retropé direito esta diferença entre região lateral e medial não favorece a esta classificação deixando este pé como de pisada neutra.
2. A região de ambos os antepés apresenta uma boa distribuição de pressão entre todas as regiões. Mas existe uma considerável diferenca entre os pés, onde o esquerdo apresenta maiores valores. Esta situação caracteriza uma maior sobrecarga durante a propulsão no pé esquerdo. Ambos os halux (dedões) apresentam valores elevados demonstrando uma grande sobrecarga na propulsão.
3. Valores estão de acordo com os obtidos em outros estudos feitos com a corrida e a pressão plantar através do sistema Pedar com excessão de ambos os halux (Eils et al, 2004 e Weist et al 2004).
Figura do Pico de Pressão por região de cada área do pé

Laboratorio de Biomecânica do Movimento e Postura Humana - Departamento de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional - Faculdade de Medicina - USP

9 comentários:

  1. Muito bom Mayumi! Pena que não estou em SP para participar da pesquisa tb. Bjs

    ResponderExcluir
  2. -------\\\\|/-------
    ------(@@)-------
    -ooO--(_)--Ooo—
    Grande amiga mais uma vez obrigado pela sua presença no meu blog. Realmente o Dean Karnazes é fantástico e estou aprendendo muito com ele ainda mais que no mes que vem tem uma ultra aqui no RJ de 50km e estou pensando em fazela. Bom minha amiga meus parabéns pelo teste da pisada, vc é uma menina de sorte e como disse o nosso amigo na msg anterior pena que não estou em SP para participara também.
    Bom final de semana e boas passadas.
    JC
    www.jmaratona.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Mayumi,
    Muito boa a sua postagem ! Parabéns !
    Esclarecedora e útil !
    Obrigado,
    Ass.: Guilherme.

    ResponderExcluir
  4. Mayumi, sensacional!!!

    Muito avançado este teste, hein? E o resultado sai com detalhes absurdos, incrível a ajuda que vai te proporcionar para melhorar a distribuição do peso do corpo na corrida.

    Eu tive essa dor na semana passada, em que corri na areia da praia, descalço. Como não sou acostumado ao terreno, senti. Mas foi somente na areia.

    Pena que é em SP, senão me habilitaria.

    Gostei muito do post, valeu!

    Paulo
    http://www.e-corredor.com.br

    ResponderExcluir
  5. Que post, heim ?

    Puxa... aqui no RJ não tem isso !?!?! :(

    ResponderExcluir
  6. Pois é, meus amigos. Eu cheguei até a perguntar para a Ana Paula se eles não iriam ao Rio de Janeiro para realizarem o teste, mas parece que eles não tem planos ainda... mas se vocês vierem para São Paulo participar de alguma corrida, não deixem de contatá-los. Acho que é a única saída. Sorry!

    ResponderExcluir
  7. Legal Mayumi.

    Alguns anos atrás eu fiz um teste parecido (em esteira com sensores na palmilha do tênis) no Eisntein. Através dele meu médico pode me ajudar a escolher o tipo de tênis para minha pisada (pronada).

    Agora está preparada para encarar as 26.2milhas de NY-2008!

    ResponderExcluir
  8. Eu preciso fazer um teste... Mas ainda não consegui...

    É ruim fica usando tênis sem saber sua pisada, não é?

    Com certeza é muito mais saudável saber a pisada correta.

    Quem sabe eu consigo realizar este teste ainda esse ano rsss

    beijos!!!

    Mariana Pelozio

    ResponderExcluir
  9. Oi, Mariana:
    Faz o teste, sim! Daí voc~e posta no seu blog, que é o tema ideal para ele! Rsrs. Obrigada pela visita!

    ResponderExcluir