1 de jun de 2008

No stress, no stress!

Olá, pessoal:
Como foram de final de semana? Ficaram encolhidos debaixo dos cobertores assistindo à Maratona Internacional de São Paulo? Rsrs. Eu fiquei! Ah, mas foi um espetáculo ver os primeiros correndo! Aquelas passadas largas, aquele rítmo constante e contagiante! Sem falar no novo percurso, não sei como foi para quem correu de fato, mas para quem assistia de longe, estava muito bonito o cenário: a Ponte Estaiada, a USP, a orquestra tocando... vocês viram o cangaceiro correndo? Faça chuva ou faça sol, lá está ele!
Pois bem, hoje, não participei do evento, mas treinei ontem no frio. Bem, frio para mim, mas pode ser morninho para os gaúchos, não é mesmo? Saí de legging, camiseta de manga comprida, meias de média compressão, meias anti-bolhas por cima, nossa, tudo que tinha direito de vestir! Fui ao Parque do Ibirapuera. Normalmente, quando treino de sábado de manhã lá, o local está cheio de gente. Mas, ontem, estava bem tranqüilo, muito pouca gente. Talvez porque muitos iriam correr a maratona ou as provas mais curtas, e talvez por causa do frio. E para espantar "os males", ouvi muita gente com MP3, MP4, iPod (I não pod comprar um ainda! Rsrs), etc, cantarolando. Eu não uso nenhum aparelho sonoro quando corro, mas parece que a música é um bom estímulo para quem corre. Hoje mesmo, na transmissão da maratona, um locutor estava dizendo isto enquanto transmitiam a imagem da orquestra tocando em um dos pontos. E sabem o que eu ouvi? Olha só, cada um que passava com um aparelho, "emitia" um som diferente: "nham, nham, nham, nham", "tun-tz, tun-tz, tun-tz", "laaaa-lalalaaa", "Esta noite eu quero vocêeee, esta noite eu quero...". Eu hein? Kkk. De repente, eu ouço: "EI, VEM CÁ Ô MEU! TÁ PENSANDO QUE SOU O QUÊ? NÃO QUERO ESTA "PO...", NÃO!". Eu olhei ao lado e vi que era um homem falando sozinho, com alguém imaginário! Bem, cada um com os seus problemas, não?
Por falar em problemas, já me perguntaram se nunca tem tempo ruim para mim! Lógico que tem, acho que todos nós temos, não é mesmo? Só que, quando o tempo ruim chega, a gente tenta espantá-lo! Por exemplo, na semana passada, acordei cedo para ver se conseguia pegar uma esteira na academia para treinar os 14 km que estavam na minha planilha. E chegando lá, consegui, sim, uma esteira. Só que no 4º km, tive que ir ao banheiro, e quando voltei, um hóspede tinha ocupado a esteira que eu estava usando, com a minha garrafinha de água do lado e tudo. O pior é que as outras esteiras estavam todas ocupadas. O que você faria nesta situação? Esperaria e começaria tudo de novo? Rsrs. Só que, se eu esperasse, não daria tempo de tomar banho e chegar a tempo para o trabalho. Tirar o hóspede de lá, não podia, pois ele estava no direito dele: a esteira estava desocupada, aparentemente. Conversei com os instrutores e eles disseram que se eu tivesse avisado, eles iriam segurar a esteira para mim! Pensei eu, cá com os meus botões: ah, vou tomar um banho bem relaxante, secar o cabelo, fazer chapinha, maquilar-me, depois vou tomar um suco misto, comer um pão na chapa e atravessar a rua para entrar no trabalho. O treino? Ah, um dia só, eu recupero! Depois, para que brigar com hóspede, não é mesmo? Ele não vai estar mais por aqui outro dia! Deixa para lá! "Tô nem aí, tô nem aí..." Rsrs.
Em provas muito cheias de gente, encontramos gente brigando para estacionar o carro, para ir ao banheiro, para pegar o kit, até para correr! Mas, analisando friamente a situação, depois que isto tudo passa, o que de fato era o mais importante para você? Correr a prova? Ir ao banheiro? Estacionar o carro? Bem, tudo faz parte, mas pensando mais amplamente, para mim, o mais importante ainda é chegar bem ao final da corrida, sem atropelos e sem mal estar. Particularmente, gosto de corridas menos cheias, mas encontrar com amigos, sempre é muito bom! E se eu puder fazer isto sem estresse, é muito melhor! Afinal de contas, eu comecei a correr porque me sentia bem! Portanto, no stress, no stress! Não vamos nos esquentar com pequenos incômodos! Rsrsrs. Quem já esteve numa guerra à beira da morte, deve se importar bem menos com estas pequenas coisas, não? Boa semana para vocês!

3 comentários:

  1. Mayumi,
    Concordo plenamente com você no que diz respeito a dar a devida importância só as coisas realmente importantes.
    Mas a falta de civilidade e cidadania que se observa no trânsito, por exemplo, também se "espraia" pelas corridas, lamentavelmente...
    Grato,
    Ass.: Guilherme.

    ResponderExcluir
  2. Mayumi, o frio para vc pode ser morno para os gaúchos e terrível para nós, os cariocas!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Mayumi,

    Se superar é preciso cada vez mais.

    Sobre aquela história da Japan Run, conversei com um grande organizador que esteve envolvido por seis meses em negociações com os coordenadores dos 100 anos da
    Imigração (porisso que no site tinha a referencia).

    Mas segundo esse mesmo organizador essa comissão de uma hora para a outra enterrou o assunto. Ao menos de provas provas grandes ficaremos sem esse evento.

    PS.: Passei no blog do Valter e postei lá.

    Valeu a dica
    Harry

    ResponderExcluir